domingo, 3 de outubro de 2010

A implantação do marxismo-leninismo na Rússia

No ano de 1917, quando se deu a primeira revolução na Rússia, ainda governava o czar Nicolau II. Durante a sua governação o povo viveu nas piores condições, pois no Império dominava a fome e a miséria.
Como consequência no território russo tinham lugar inúmeras tensões sociais e até políticas. Os camponeses, os operários e até a burguesia e a nobreza liberal estavam empenhados em retirar todo o poder ao czar.
Além das condições más em que o,ainda, Império Russo se encontrava, este foi-se envolver na Primeira Guerra Mundial, que teve consequências devastadoras para todo o Império. Claramente, o descontentamento do povo aumentava cada vez mais. Liberais e socialistas denunciavam a incompetência do czar e dos seus ministros, querendo pôr fim à sua governação e ao Império.
Foi em Fevereiro de 1917 que as mulheres, acompanhadas dos operários manifestaram-se na capital do império, Petrogrado, com o objectivo de derrubar o czar. Foi então que os operários se juntaram numa assembleia, denominada Soviete.
O czar porém não queria abdicar do seu poder, "No dia da minha coroação, jurei o poder absoluto.", disse o rei quando o grão-duque pediu ao Nicolau II que este concedesse uma Constituição.
Obviamente que o povo ficou ainda mais agitado com as decisões do czar e desta maneira, sem qualquer apoio, este abdicou dos seus poderes a 2 de Março, pondo fim ao Império Russo.
No poder, ficou o Governo Provisório que estava empenhado na instauração de uma democracia parlamentar e que não retirou o país da guerra com o pensamento de ainda ter possibilidades de ganhar este conflito que tanto abalou a Rússia.
Do outro lado por todo o país os operários, os camponeses, os soldados e marinheiros juntavam-se em aos sovietes e tinham como objectivo o afastamento do Governo Provisório do poder, a retirada do país da guerra e a confiscação das propriedades.
Com o desenlace desta situação por todo o país, Lenine, defensor do marxismo, tomou a dianteira, fazendo-se reconhecido pela sua teoria, por todo o mundo.
Em 1918, explode um conflito a nível nacional, conhecido como A Guerra Civil Russa. Neste conflito armado participaram os bolcheviques, conhecidos como Os Guardas Vermelhos e entre os opositores ao bolchevismo, conhecidos como o exército branco, formado na maioria pelos burgueses e apoiado pelos corpos expedicionários da Inglaterra, França, EUA e Japão.
Após conflitos consecutivos Os Guardas Vermelhos acabaram por ganhar esta guerra civil.
Lenine defendia que para a construção de uma sociedade socialista, era necessário implementar, primeiramente, a ditadura do proletariado que devia possibilitar a supressão do Estado e eliminar a desigualdade social. Diz-nos Lenine que "...somente na sociedade comunista[...] que os capitalistas desaparecem e as classes também[...]e é então que o Estado cessa a sua existência e que se torna possível falar de liberdade."
Com a subida do Lenine ao poder, como chefe dos bolcheviques, toda a economia do país foi nacionalizada, ou seja, já não havia qualquer propriedade privada. Era ao Estado que competia a distribuição de bens, igualmente para todos. Para Lenine o Estado era o próprio povo, pois desta forma formavam a sociedade perfeita.
A dita ditadura do proletariado transformou-se na ditadura do Partido Comunista, era assim que passou a designar-se o Partido Bolchevista. Foram proibidos todos os partidos com excepção ao Partido Comunista, e desta maneira o poder era apenas do partido único.
Porém, com o desenlace da Guerra Civil o descontentamento dos camponeses aumentou, dado que estes eram obrigados a fornecer alimentos para as cidades e não podiam vendê-los para conseguir sustentar as suas próprias famílias.
A economia do país estava bastante enfraquecida devido ao facto de não existir concorrência entre os vendedores, dado que era o Estado que impunha os preços dos produtos, sendo estes todos iguais. Sem concorrência, a economia do país desenvolvia-se muito dificilmente levando desta forma a uma nova instalação da miséria.
Desde 1922, a Rússia, como fundadora, uniu-se com os países vizinhos e independentes e formaram  a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas( URSS). Todos estes países dispunham de uma Constituição e todos tinham os mesmos direitos, porém dispunham de uma certa autonomia.
Falava-se na altura de um centralismo democrático, que consistia no seguinte, todo o poder provinha da base, ou seja, dos sovietes, que eram escolhidos por sufrágio universal.Para melhor perceber o esquema do centralismo democrático, veja a página 19 do livro "O tempo da história,12º ano".
Ao aperceber-se das dificuldades que a economia nacional enfrentava, Lenine apelou a alguns princípios do capitalismo, pois só assim poderia resolver o problema presente no país. Desta forma, o Estado permite a desnacionalização das pequenas empresas que por sua vez permitiram a renascimento da pequena burguesia. Como consequência, o capitalismo privado permitiu o desenvolvimento do socialismo. Contudo, a "...indústria pesada[...]e os transportes..." continuavam sob o domínio do proletariado. Esta nova medida ficou conhecida como a Nova Política Económica (NEP).
 

2 comentários:

  1. Este post deveria estar antes do recuo do demoliberalismo

    ResponderEliminar
  2. Igor depois desta passagem com algumas incorrecçõe, deveria ter surgido um texto critico, ou seja, porque razão o povo aderiu aos ideais leninistas, porque teria surgido a guerra civil, qual a verdadeira razão das nacionalizações, o importante é que voces reflitam sobre os acontecimentos.
    Bom trabalho.

    ResponderEliminar