sábado, 23 de outubro de 2010

Mutações nos comportamentos e na Cultura

Após o fim da Primeira Guerra Mundial, houve uma notória mudança nos comportamentos e mesmo a nível cultural. Foi notória também uma grande urbanização que fazia das cidades o principal centro cultural e social dos países. Com o desenvolvimento das cidades, ou melhor, com o crescimento demográfico a nível urbano, o próprio indivíduo deixa de ter tanta importância e passa a ser apenas "mais um". Começou-se a dar mais importância aos lazeres e ao consumo, fazendo com que surgisse uma nova cultura baseada nas distracções.
A convivência entre os sexos passou a ser mais livre e até podemos dizer que passou a ser sem preconceitos, dado que a mulher passou a ser mais observada e conseguiu livrar-se do domínio masculino. Esta começou a visitar clubes nocturnos, começou a fumar, a beber, cortou o cabelo, diminuiu a saia, entre muitas outras coisas. Desta forma a mulher começou a ser encarada como um verdadeiro ser social activo.
Também foi notório o desenvolvimento do gosto pelo desporto e pelos meios de transporte industrializados, principalmente pelo automóvel. Desta maneira, as classes médias foram a principal marca da modernidade nas primeiras décadas do século XX.
A brutalidade da guerra, fez com que todos os valores morais e sociais desaparecessem fazendo com que se instalasse um clima de relativismo, ou seja, tudo aquilo que antes era basicamente uma obrigação de um individuo evaporou-se com o fim da Primeira Guerra. Valores como por exemplo, o casamento, a família, o papel da mulher, que irei falar mais à frente, os preceitos religiosos, tudo isto desapareceu com o choque da guerra e podemos dizer que vivia-se um clima de crise de consciência. Foi este relativismo de valores que fez com que as mudanças acelerassem ainda mais.
Falaremos então da emancipação feminina. Como já tinha referido, a mulher teve um grande impacto na sociedade a partir do início do século XX. Principalmente depois da Primeira Guerra Mundial, esta teve a oportunidade de ser afirmar como ser social activo, como já tinha dito. E como é que ela o fez? Um dos meios que a mulher utilizou para se afirmar foi a participação na vida política, ou seja, nos vários países europeus, esta foi ganhando cada vez mais o direito de votar. Em Portugal, temos o exemplo de uma grande mulher que teve uma importância enorme para a sociedade feminina, que foi Ana de Castro Osório. Esta organizou várias organizações e associações para apoiar as mulheres portuguesas.
Tal como a mulher começou e ela a trabalhar, esta viu-se cada vez menos dependente do Homem, visto que agora podia também sustentar-se a si própria e aos seus filhos, se fosse o caso.
Foi desta forma que a mulher mostrou a toda a sociedade masculina o seu valor social.
Uma outra consequência da guerra, a nível cultural e social, foi a mudança do pensamento, ou seja, passou-se de um pensamento absolutista para um pensamento relativista. E o que é que isto quer dizer? Quer isto dizer que até o início da Primeira Guerra Mundial, as pessoas regiam-se segundo várias leis, tradições, costumes, religiões e muitos outros padrões culturais e sociais e além disso acreditava-se numa verdade absoluta, porém após o fim da guerra, todos estes padrões desapareceram e no lugar da dita verdade absoluta apareceu o relativismo. Este defendia a impossibilidade do conhecimento absoluto e defende que todo o conhecimento depende do espaço, tempo e meio onde este se desenvolve. Um grande cientista da época foi Einstein, considerado o "génio" do século XX.
A questão de o ser humano ser totalmente racional também foi estudada, neste caso pelo Freud. Este chegou à conclusão de que a mente humana não é totalmente racional, mas tem uma zona que é obscura, a que Freud deu o nome de inconsciente. Esta ciência ficou conhecida sob o nome de psicanálise.
Vimos como a Primeira Guerra Mundial teve um forte impacto e nos valores humanos, tendo "apagado" tudo aquilo que existiu e tendo contribuído para a aparição de novas culturas e novos valores sociais. Estes foram devidamente notórios nos comportamentos dos indivíduos, tendo estes mudado as sociedades. Houve um notório crescimento da urbanização que fez com que o indivíduo perde-se uma grande parte do seu valor que lhe era atribuído e fazendo parte de um grande palco onde este era e ainda hoje é, apenas mais um figurante.

Sem comentários:

Enviar um comentário