sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

O Tempo da Guerra Fria

Já antes do início da Segunda Guerra Mundial, os EUA estavam afirmados no mundo como sendo uma super-potência que tinha grandes expectativas e grandes meios para conseguir alargar e espalhar a sua ideologia capitalista. Contudo, após a vitória dos Aliados sobre os regimes totalitários europeus, a Rússia começa por ganhar meios para se afirmar como uma das maiores potências, nomeadamente chegando a fazer concorrência aos próprios EUA. Foi o surgimento desta concorrência entre as duas potências mundiais( URSS e EUA) que traduziu o desejo, de ambos os lados, de expandirem a sua ideologia pelo mundo fora, fazendo com que houvesse mais adesão possível dos países de todo o mundo. É assim que surge uma "guerra mútua" entre o mundo capitalista e o mundo socialista, baseando-se no desenvolvimento industrial de cada país( URSS e EUA), tentando assim mostrar qual é o mais potente a nível industrial, ou seja, o tal conflito mútuo que é conhecido com o nome de "Guerra Fria" baseou-se num grande e rápido desenvolvimento industrial de ambas as partes.
Temos por um lado uma América, que aproveitando-se da situação devastadora em que o continente europeu se  encontrava, com o objectivo de espalhar a sua ideologia capitalista e  lutar contra a expansão do socialismo, oferece a sua ajuda a nível económico a uma Europa enfraquecida depois de um conflito que deixou o continente totalmente abalado, tanto economicamente como social e politicamente. Desta maneira é aplicado um plano económico conhecido como o "Plano Marshall", que consistia num sistema livre de comércio entre os países capitalistas, ou seja, com este plano era posta em prática uma economia mundial activa, que tal como George Marshall afirma "...permite a existência de instituições livres[...]e não se dirige contra nenhum país ou doutrina...".
Por outro lado, temos uma resposta quase imediata da Rússia em 1949, dois anos após a criação do plano americano, com a criação de um plano económico socialista com o nome de "Plano Molotov" e que mais tarde daria origem ao COMECOM( Conselho de Assistência Económica Mútua) que era uma instituição destinada a promover o desenvolvimento integrado dos países comunistas sob o controlo da URSS.
Procede-se deste modo à divisão do mundo em dois blocos, mais precisamente, o mundo ficou dividido entre duas super-potências com ideologias distintas, uma capitalista e outra socialista. Uma forte prova, por assim dizer, da tal divisão verificou-se na divisão do espaço físico da Alemanha entre o mundo socialista e o mundo capitalista com a construção de um muro que era a própria prova de tal divisão, ficando assim a Alemanha dividida em duas partes, uma denominada como República Federal Alemã( EUA, França e Inglaterra) e a outra conhecida como a República Democrática Alemã(URSS).
Este afrontamento entre as duas super-potências mundiais prolongou-se até meados dos anos '80, altura em que o bloco soviético demonstrou os seus primeiros sinais de fraqueza( irei falar destas nas próximas actualizações). Durante toda esta concorrência mútua entre os dois blocos, o mundo inteiro viveu num clima de constante tensão com a desconfiança e o medo do surgimento de uma nova guerra que poderia vir a ser devastadora para toda a humanidade, visto que desta vez a indústria bélica estava bastante avançada e poderia ser fatal para o mundo.
Deste modo, durante a Guerra Fria, cada um dos blocos correu ao desenvolvimento da indústria bélica para demonstrar as suas potencialidades e o seu poder industrial, fazendo com que a concorrência crescesse cada vez mais e com que a situação ficasse cada vez mais tensa entre as duas potências. Todavia estas acabavam por se influenciar uma a outra sempre atentas ao "inimigo" ideológico.

Sem comentários:

Enviar um comentário